domingo, 15 de dezembro de 2013

Fitness: Corridas


Minhas 10 provas em um ano
Tenho recebido muitas mensagens pedindo para eu fazer mais posts sobre a minha mudança de vida, então, vou tentar escrever mais sobre a minha rotina de exercícios físico e sobre a minha alimentação.
 
Mas acho que vocês vão acabar vendo mais posts sobre atividade física aqui do que sobre alimentação. Porque acredito que essa foi a minha grande mudança. É claro que mudei muitooo a minha dieta, no entanto, o milagre realmente foi o esporte, que me fez sair do sedentarismo extremo para o vício em suar.
 
Sempre fui uma criança muito (hiper)ativa. Não parava quieta, adorava brincar na rua descalça no asfalto quente, sempre dancei e fiz muito tempo de natação. Mas na adolescência a preguiça começou a me consumir e os quilos a mais começaram a aparecer.
 
Em algumas tentativas frustradas de matricular em uma academia nesse meio tempo, as aulas de ginástica estavam na minha programação. Mas correr, nunca.
 
Algumas caminhadas esporádicas tudo bem, mas ficava muito cansada só de andar no shopping, esbaforida mesmo, ofegante, botando os bofe para fora, então, correr realmente nunca passou pela minha cabeça.
 
Comecei a namorar o Marcelo em 2007, e em 2008 fomos um dia caminhar na lagoa. Deixei bem claro para ele: "vamos caminhar, porque não consigo correr". Aí, lá, ele me convenceu a tentar correr um pouquinho, eu relutei, mas aceitei a corridinha só para mostrar que realmente não aguentava. Começamos a correr e logo fiquei cansada, mas ele não me deixou parar até cruzarmos a marca dos 100m. Isso mesmo, sem brincadeira, corri 100m e fiquei muito cansada, sem conseguir falar por alguns instantes.  Continuamos o percurso andando e não tentamos mais essa façanha.
 
Em 2009, 2010 e 2011 repetimos a dose algumas vezes e, apesar de não ser uma rotina, ele conseguiu me treinar a ponto de correr 300m e 500m seguidos. Fiquei extremamente feliz quando consegui correr 500m, mas ainda ficava muito cansada no final e, por isso, não acreditava que conseguiria dobrar aquela distância e completar 1k correndo.
 
Em janeiro de 2012 comecei a minha mudança de vida. Mas a corrida ainda não tinha entrado na minha rotina, simplesmente porque o meu psicológico bloqueava qualquer imagem de conquista relacionada à corrida, na minha cabeça eu simplesmente nunca iria conseguir correr. Então, em janeiro, comecei a fazer dança na academia, depois jump e spinning. Em abril, quatro meses depois e com quase 10 quilos menos, fui caminhar com o Marcelo e a Mari na lagoa e conversamos sobre eu começar a treinar corrida na esteira de academia.
 
Nesse dia percebi que poderia evoluir muito mais o meu treino se acrescentasse a corrida/caminhada na minha rotina. Não tinha a pretensão de sair correndo, mas queria ter uma modalidade nova para me dedicar. Então, comecei a treinar 1 minuto de corrida intercalado com 5 minutos de caminhada durante 50 minutos de esteira pelo menos 3 vezes por semana. Nossa, 1 minuto de corrida era interminável e os 5 de caminhada voavam, quando eu estava me recuperando da corrida anterior, já tinha correr de novo. Não era fácil. Mas não desistia e quando terminava os 50 minutos pensava: "Graças a Deus acabou e não desisti". Ficava orgulhosa de mim, porque várias vezes eu pensava em desistir no meio.
 
Depois de um mês com esse treino mudei o esquema para 300m de corrida e 500m de caminhada durante 50 minutos. Dois meses depois resolvi colocar a toalha no visor da esteira e correr até onde eu aguentasse e, para a minha alegria, consegui correr 8 minutos seguidos e completar 1k. Nossa nesse dia quase chorei de emoção.
 
Os treinos continuaram com frequência e dois meses depois desse dia, em outubro de 2012, eu já estava correndo 5k e participei da minha primeira corrida de rua: a volta da Unicamp. Para a minha alegria e surpresa completei o percurso em 28min50s e fiquei em 11º lugar na categoria feminino de 25 a 29 anos. Esse tempo foi o meu recorde nos 5k por muito tempo, realmente não sei o que aconteceu comigo nesse dia.
 
Em março de 2013 corri a minha primeira corrida 10k. Meu, 10k? O que é isso? Eu sempre olhava a Lagoa do Taquaral (em Campinas, tem quase 5k) e imaginava: "Nunca vou conseguir completar essa volta correndo". Então, imagina duas vezes? Minha primeira corrida nessa distância foi a Corrida da Lua e terminei em 1h03m.
 
Depois disso, fiquei em terceiro lugar na minha categoria nos 5k da corrida do Centenário do Tênis Clube. Não tinha muitos inscritos nessa prova e peguei essa colocação mesmo com um tempo não muito bom: 32min38s: muita subida e eu estava sentido dores no pé.
 
Melhorei o meu tempo na minha segunda prova 10k: a Corrida Mais Vida do Boldrini, que fiz em 58min38s. Fiquei muito feliz em ter completado o percurso em menos de 1h.
 
Nas minhas férias me dei um desafio novo. Corri 15k na esteira em 1h34m. Realizei essa façanha apenas uma vez para ver se dava para encarar uma São Silvestre. Quem sabe? Gostei do meu desempenho e fiquei muito feliz com essa superação.
 
Mas a maior felicidade veio na minha última prova: a Série Delta etapa Rússia, que completei os 10k em 57min50s (meu recorde nessa distância) e fiquei em 10º lugar na minha categoria. Essa prova teve bastante inscritos e essa posição e esse tempo realmente me impressionaram. Ver aquele mundarel de gente e pensar que apenas 9 meninas da minha idade (sendo que a maioria é bonita e gostosa) chegaram na minha frente, realmente, dá um prazer imenso, inexplicável e inacreditável.
 
Hoje a corrida já faz parte da minha vida. Como faço outras atividades na academia, as vezes, fico um pouco sem tempo para treinar corrida, mas sempre me forço, porque lembro como essa sensação é satisfatória. Muitas vezes começo a correr na esteira e logo sinto dores, penso que não vou aguentar a meta daquele dia, mas não desisto, porque sei que os primeiros quilômetros são realmente difíceis, mas depois embalo e, quando termino penso: "nossa que delícia, ainda bem que não desisti".
 
E fazendo várias atividades, percebo que a corrida é a que mais exige da gente, a que mais dá uma sensação boa de superação e a que mais nos ajuda nas demais modalidades. Portanto, continue a correr.
 
Bom, foi assim que [inacreditavelmente] eu comecei a correr e me apaixonei por esse esporte. E agora vou começar a contar aqui como foram as minhas provas. Espero que gostem.
 
E vocês? Correm? Praticam atividade física? Estão tentando sair da inércia? Me contem!
 
A vida começa quando a zona de conforto acaba!
 


2 comentários:

  1. Amei as montagens de todas as corridas que vc já participou, merece colocar em um porta-retratos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Patty... é uma boa ideia ... bjao

      Excluir